30 de abril de 2017

Recomendação de mangá: Perfect World

Recomendação de mangá: Perfect World

Como amar e construir um relacionamento saudável e duradouro quando tudo parece impedi-lo?

Perfect World é uma série de mangá lançada em 2014 de autoria de Rie Aruga, em publicação na revista Kiss da Kodansha. Ele aborda o tema sensível da deficiência, até o momento possui cinco volumes publicados no Japão. Apareceu na lista muito bem conceituada do Kono Manga ga Sugoi! 2016 (Lista completa AQUI). 

O título também é publicado na França, pela editora Akata, que inspirada pela obra elaborou uma bela iniciativa. A editora se comprometeu a doar 5% de cada volume vendido do Perfect World #3. 

Cheguei a ficar numa dúvida enorme na escolha do título para fazer esse post, mas como quero falar sobre esse mangá desde que eu o vi pela primeira vez, estou sempre buscando notícias sobre ele e não poderia ser outro no meu mês de fazer a recomendação

Recomendação de mangá: Perfect World

A história

Kawana Tsugumi tem 26 anos e trabalha para uma empresa de design de interiores. Ela vai a uma festa do escritório de arquitetura de um cliente, e reencontra Ayukawa Itsuki, o seu primeiro amor do colegial, que ela não via desde o final do ensino médio! Ele está mais bonito do que nunca, até que ela percebe que algo mudou; Ayukawa está em uma cadeira de rodas.




Uma obra muito realista

Perfect World aborda um tópico realmente raro em mangá e de forma muito realista, Rie Aruga trata do tema da deficiência física ao mesmo tempo com precisão e sensibilidade. Para construir sua história, a autora fez diversas pesquisas com profissionais de saúde para transcrever com precisão as deficiências do Ayukawa. Há vários momentos onde são mostradas complicações que surgem por conta da lesão medular. Já no primeiro capítulo ele precisa ser socorrido por conta de uma úlcera de decúbito, que se forma pela falta de irrigação sanguínea em uma determinada área e tudo isso é explicado, de forma simples, para quem está lendo. Mais adiante é abordado um problema de fragilidade dos rins, incontinência urinária, dores que ele sente pela lesão medular, ou seja, a mangaká não hesita em detalhar as várias situações que eventualmente podem surgir.


Com o passar da história, caso o leitor não conviva de perto com alguma pessoa que tenha deficiência física, ele irá descobrir com o Ayukawa, as várias barreiras que uma pessoa com deficiência precisa enfrentar no seu cotidiano, sejam elas físicas, orgânicas e sociais. Uma simples ida a um restaurante próximo à empresa que trabalha, pode ser um desafio. Pessoas sempre duvidando e subestimando as suas capacidades no trabalho, e muitas outras dificuldades são encaradas por cadeirantes diariamente. 

Uma complexa e comovente história de amor 

A premissa da história é basicamente simples, mas o desenvolvimento é turbulento! 

Começamos a história acompanhando a simpática Kawana Tsugumi, uma moça simples de 26 anos que em um jantar de negócios da sua empresa, acaba reencontrando seu primeiro amor do colegial. Em um curto espaço de tempo ela acaba experimentando vários tipos de sentimentos, no início, a nostalgia de encontrar depois de anos, o seu amor da escola que nunca foi vivenciado na época, e o choque do conhecimento da condição atual dele, ao vê-lo numa cadeira de rodas. Já mostrando que não estamos diante de um casal nos padrões clássicos de mangás.




De um lado temos a Kawana, que acabou desistindo do sonho de trabalhar como ilustradora, buscando se firmar como designer de interiores, e do outro temos Ayukawa, agora um arquiteto famoso, que mesmo com a limitação conseguiu seguir a profissão que tanto sonhava nos tempos de colégio e que assim como naquela época, os uniu. Antes que pudesse passar pela cabeça dela, um romance com sua antiga paixão, Kawana já escuta de uma colega de trabalho que jamais conseguiria se relacionar com alguém em uma cadeira de rodas. E no início, ela acabou sentindo o mesmo, mas com o convívio e o envolvimento que passou a ter trabalhando junto com o homem que ela já amou uma vez, gradualmente fizeram seus sentimentos adormecidos despertarem. 






As dificuldades logo começam a surgir, com a aproximação, Kawana fica perplexa com a descoberta de que não conhece a extensão da deficiência dele, no entanto, não deixa de se impressionar com a força que ela viu nele, ela resolve perseverar e tentar o seu melhor para compreendê-lo. Mas Ayukawa é um cara que luta contra ele mesmo, abraçou o trabalho como motivação para viver e enfrentar sua deficiência e desistiu de si. Apesar do medo e da incerteza, Kawana decide ir em frente e tentar um relacionamento com Ayukawa, que ciente da sua condição não tem mais nenhuma pretensão em viver um romance. 









Depois de vencidas as primeiras barreiras, eles precisam enfrentar os julgamentos de familiares, amigos e conhecidos e lidar com os olhares da sociedade, o que acaba dando um dimensionamento ainda mais amplo para a história, a gama de personagens envolvidos com o casal nos permite enxergar como a situação é encarada por várias perspectivas. 



De agora em diante eles precisarão fortalecer a relação, desafiando seus dilemas internos e encarando juntos os medos e as dificuldades conhecidas e desconhecidas, e claro, acreditar no poder e na força do amor que eles sentem. 

Considerações Finais

Perfect World é um belo romance cativante e comovente, capaz de deixar os olhos transbordando. Muitas vezes precisei parar de ler por acompanhar uma história tão real. Rie Aruga com toda sua habilidade lida com temas fortes que raramente são trabalhados em mangás de uma forma tão realista. O mangá traz uma história de vida que nos tira do conforto e provoca uma reflexão importante, nos faz abrir os olhos para as experiências vividas por muitas pessoas e que muitas vezes nem paramos para entender. Definitivamente recomendo.

Português: Fascínio Asiático leia AQUI
Inglês: -
Espanhol: Whitelies Fansub (tumanga - da própria scan) leia AQUI



Recomendado por FêLangley 

Nenhum comentário:

Postar um comentário