17 de dezembro de 2017

Io Sakisaka: uma entrevista com a autora de Ao Haru Ride

Io Sakisaka: uma entrevista com a autora de Ao Haru Ride






Um das coisas que sempre sonhei foi poder ver pessoalmente alguma das amadas autoras de mangás Shoujo/Josei. Alguns mangakás até vieram ao Brasil, mas de Shoujo e Josei nunca nem vi ;-; 

Pois bem, o pessoal da Espanha teve essa chance no 21º Salón del Manga de Barcelona. O evento, em 2015, recebeu a Io Sakisaka, autora de grandes sucessos no Japão e no mundo como Ao Haru Ride e o atual Omoi, Omoware, Furi, Furare. O pessoal do elPeriodico fez uma entrevista tão legal com ela que acredito que vale muito a pena compartilhar aqui com vocês.

O entrevistador começou a matéria dizendo que não tinha como falar de mangá shoujo atualmente sem citar a Sakisaka sensei, uma das autoras de shoujo que mais vende no Japão. Concordo plenamente com ele, a autora chegou a ter o mangá shoujo mais vendido do ano com o seu triunfante Ao Haru Ride, que até tivemos a chance de colecionar com a sua publicação no Brasil. Acho que já está na hora de ter mais uma de suas obras (Omoi, Omoware, Furi, Furare) aqui no país. Não acham?

As obras da Sakisaka são publicadas na Espanha pela editora Ivrea, que aposta sempre na autora, tanto que Omoi, Omoware, Furi, Furare foi anunciado em novembro, no 23° Salón del Manga de Barcelona que ocorreu neste ano. 

Ela não costuma ser fotografada nas suas entrevistas no Japão, mas como uma convidada do Salón del Manga de Barcelona, a autora gentilmente permitiu o clique  

Io Sakisaka: uma entrevista com a autora de Ao Haru Ride

Ela revelou detalhes de como e porque virou mangaká, sobre as adaptações das suas obras em anime e filmes, dica para novos mangakás e mais! Confira a tradução da entrevista abaixo: 


Ser a autora de Shoujo que mais vende é muita pressão?

Sakisaka: Eu realmente não tenho nenhuma pressão, porque eu prefiro não saber os dados de vendas ou séries mais bem sucedidas. Eu não estou ciente se eu sou uma das mais vendidas ou famosas... Eu não gosto de pressão, porque me pesa muito, e eu não sou muito forte para essas coisas. É melhor estar inconsciente desse tipo de coisa, viver e trabalhar melhor.

Como começou a desenhar mangás?

Sakisaka: O início da minha carreira foi por uma razão muito pouco atraente... Eu estava trabalhando em uma empresa, e todas as manhãs eu tinha que pegar o trem na hora do Rush, era sempre muito lotado e eu estava muito sobrecarregada. Então eu pensei em algum trabalho que eu poderia fazer em casa. Ocorreu-me que eu poderia desenhar mangá, que também não precisava de títulos ou diplomas, e eu comecei a praticar e praticar. Não é uma razão muito elegante, mas é a verdade...

Você é autodidata? Seus desenhos são muito detalhados, especialmente as expressões e o cabelo...

Sakisaka: Sim, sou autodidata. Uma pessoa que estudou design tende a ter a capacidade de desenhar muito bem, rapidamente, sem perder o equilíbrio. Mas como eu era autodidata eu não tinha esse nível, então o que eu fiz foi tentar dedicar o máximo de tempo possível e praticar muito nos detalhes mais meticulosos. Então eu fui capaz de melhorar pouco a pouco.

Io Sakisaka: uma entrevista com a autora de Ao Haru Ride


Por que decidiu desenhar histórias do Ensino Médio?

Sakisaka: A maioria dos meus trabalhos são histórias do ensino médio, porque é quando passamos da infância à idade adulta.  Muitas coisas mudam dentro de nós, e emocionalmente é uma etapa muito interessante. Estou muito interessada nessas mudanças nas emoções dos jovens.

Você reflete suas experiências, primeiro amor...?

Sakisaka: Claro, em minhas obras estão refletidas algumas das minhas experiências, mas quando as desenho não são exatamente iguais as que aconteceram comigo, há apenas detalhes. Ao Haru Ride, acima de tudo, tem muitas das minhas experiências, já que, quando desenhei, consegui lembrar e analisar o que vivi e aconteceu comigo, recordar sentimentos, a distância.

Io Sakisaka: uma entrevista com a autora de Ao Haru Ride

Você acabou de lançar um novo trabalho no Japão. Vai voltar ao gênero?

Sakisaka: Sim, mas o novo trabalho (Omoi, Omoware, Furi, Furare) é diferente porque há duas protagonistas, duas meninas, que são muito diferentes, opostas, cada um com seus valores Quando você desenha um trabalho com uma única protagonista, é como se seus valores sempre tivessem que estar certos. Por outro lado, com duas protagonistas, cada uma pode agir e priorizar coisas diferentes.


Io Sakisaka: uma entrevista com a autora de Ao Haru Ride

Você não gostaria de experimentar outro gênero?

Sakisaka: Eu gostaria de poder desenhar obras de outros gêneros, mas agora eu ainda tenho muito interesse no período da adolescência, então eu quero continuar desenhando sobre esse tempo. Talvez no futuro faça outras coisas.

Em seus mangás, você escreve colunas explicando um monte de detalhes do seu dia a dia, algo incomum dos mangakas...

Sakisaka: Comecei a fazer essas colunas para os leitores, porque pensei que, se pudessem saber como a mangaká é como pessoa, seria interessante para eles e eles teriam mais carinho com as obras e com os artistas. Mas eu percebi que isso requer muito tempo, e estou um pouco arrependida por  ter começando a fazê-lo... Mas quando você recebe cartas dizendo que eles gostam, você tenta continuar fazendo isso.

Foram feitos no Japão série animada e filmes de Ao Haru Ride e Strobe Edge. Você está feliz?

Sakisaka: Me dá muito orgulho e felicidade que as minhas obras foram escolhidas para serem adaptadas em anime ou filme. Além disso, ajudou-me a aprender que existem pessoas que tiveram que dedicar muito tempo e energia para criar um trabalho de animação ou filme, e isso me faz sentir muito feliz.


Io Sakisaka: uma entrevista com a autora de Ao Haru Ride


Algum conselho para aqueles que começam a desenhar manga?

Sakisaka: Que desenhe muito, muito, pratique muito. E que assim ajudem a disseminar o shoujo não apenas no Japão, mas pelo resto do mundo.

Fonte: elPeriodico (Entrevista), manga-xxi.ficomic (foto da Sakisaka)

Nenhum comentário: